Arquivo de novembro, 2010

No dia 20 de novembro de 2010 completou-se 100
anos da Revolução Mexicana. Nós do Germinal
temos orgulho de rememorar a luta do povo
mexicano em torno de Terra e Liberdade. Falar da
luta dos indígenas e dos camponeses na América
Latina é reconhecer o importante papel que estes
amplos segmentos da sociedade cumprem no
combate ao capitalismo, desde a chegada dos
primeiros colonizadores na América, e suas várias
contribuições na construção de uma sociedade
onde liberdade e socialismo sejam sinônimos .

Dia 30 de novembro – 14:30h – UFPR­
Politécnico  –  Centro  Acadêmico
de Geografia
Filme  “Viva  Zapata”  e  dois  dedo  de
prosa.
Dia  02  de  dezembro  –  17H  –  UFPR  ­
Reitoria – DCE – quarto andar.
Filme  “Zapatistas”  e  dois  dedo  de
prosa.

Organização: Núcleo de Alimentação e Saúde Germinal

Apoio: Pangéia, Quebrando Muros

Cartaz da Atividade

Estudantes de Ciências Sociais aproveitam o momento das eleições para Centro Acadêmico (24.11.2010) pra propagandear a proposta de um Centro Acadêmico Livre, isto é como aparece no abaixo assinado que visava a propaganda e a consulta da proposta

“Desta forma, vem ao público nossa proposta de gestão aberta/livre. Esta não é baseada no princípio da representação, isto é da escolha de estudantes que devem ser responsáveis legais e institucionais de todos os outros. Nossa proposta de gestão livre/aberta nada mais é que fazer da participação do CA uma associação livre. Isto é, qualquer estudante pode participar na medida em que for interessado, com as mesmas possibilidades que todos os outros. A ideia é abolir a autoridade de um grupo, em especial eleito e legalmente institucionalizado, ou seja, privilegiar a participação e não o reconhecimento burocrático.”

O abaixo assinado contou com o apoio de 22 assinaturas simpáticas a abertura da entidade dos estudantes de Ciências Sociais da UFPR o Centro Acadêmico de Ciências Sociais. Os estudantes responsáveis pela campanha agadecem o apoio e lançam o fraterno convite as lutas por parte destes.

O Coletivo Quebrando Muros manifesta total apoio aos companheiros responsáveis por esta luta,  somos solidários a proposta destes estudantes que fazem um esforço cotidiano por um movimento estudantil combativo, autônomo e horizontal!

É isso ai compas “Onde há muros, há o que esconder!”, por isso entidades livres já!

Abaixo segue o texto distribuído em panfletos pelos membros da Campanha:

 

Rompendo as Amarras!

 

 

Tempo de eleições, muitas promessas que alimentam mais uma vez expectativas de tempos melhores?!

Será a troca das figuras a nossa frente que resolverá nossos velhos problemas com organização?!

 

Mais um grupo aparecerá pedindo seus votos para se eleger ao CACS, obviamente prometendo o impossível, sem se quer sugerir a única possibilidade enquanto estudantes que é a organização. Acreditamos que sem a base estudantil em nada avançamos, por mais geniais e bem intencionadas que sejam as propostas.

 

 

No mais, analise quem são estes que lhe pedem o voto. São aqueles que tentaram animar os estudantes a se mobilizar ao longo do ano? ou se lembraram disso somente agora para pedir o seu voto?!

 

E os grupos que tem assumido o CA tem representado a todos ou a posições pessoais e de suas organizações políticas?!

 

E se o objetivo é dialogar com os estudantes por que a gestão do CA não pode ser feita com os demais interessados? A busca pela conquista do CA e monopólio de um grupo, para que somente participem seus pares, isto é, aqueles que pensam igual , não é justamente o que inviabiliza a democracia e a participação?!

 

Esclarecemos que nada temos contra uma participação que seja positiva de membros de partidos políticos, mas estas que visam o aparelhamento e supressão de qualquer participação estudantil que extrapole os quadros de seu partido não serão aceitas sem denúncia de nossa parte.

 

Sendo assim fazemos o chamado a todos aqueles que desejam mudança de nosso CA, pois ele é de todos os estudantes , em direito e responsabilidade.

Todos que tem a vontade de colaborar nesta mobilização são bem aceitos, afinal o CA é lugar de todos os estudantes independente de sua orientação política.

 

O CA é o espaço onde os estudantes do curso deveriam se encontrar em solidariedade para discutir seus problemas, elaborar soluções e lutar por elas.

O CA deveria ser ABERTO e LIVRE as contribuições de todos os estudantes interessados, não restrito a uma minoria e seus interesses, que se legitimam com seu voto. A responsabilidade esta em suas mãos ou VOCÊ SE ANULA VOTANDO, OU AGE SE ORGANIZANDO!

 

Somente ROMPENDO com as velhas AMARRAS que nos impedem de nos movimentar é que conseguiremos vislumbrar dias melhores ao nosso CACS!

MANIFESTO DO COLETIVO QUEBRANDO MUROS

Época de eleições. Uma loucura para alguns estudantes. Correria para ver de onde vem a verba para material de divulgação, com que grupos ou partidos se coligar, nome da chapa, programa, conversar, propagandear sua chapa,correria, sem tempo pra nada. Claro, as intenções podem muitas vezes ser boas, fazer o possível para melhorar a universidade, o ensino e as condições dos estudantes.Mas afinal, será que essa é melhor forma de se mudar o ambiente acadêmico em que vivemos?Pensamos que a luta não diz respeito a simples escolha de novas chapas, novos dirigentes, os quais tantas vezes são tão ausentes do cotidiano estudantil, trancados em suas gestões e espaços burocráticos.Muito pouco buscam politizar o dia-a-dia dos estudantes, onde realmente acontecem suas batalhas cotidianas.

Nós, do Quebrando Muros, convidamos os que pensam que essa correria, essa vontade de lutar, não precisa ser tão intensa na época de eleições,mas sim todos os dias. Afinal é em nosso cotidiano que descobrimos nossos problemas, construímos novas pautas, e fazemos nossas lutas. Sem uma necessidade de ganhar votos, mas de ganhar pessoas para as lutas. Afinal não são votos que fazem a luta sim as pessoas,Não são lideranças de entidades, nem cargos em conselhos que nos mobilizam, mas sim o dialogo direto com os estudantes.

O que vemos nestas eleições, assim como nas passadas é um jogo de cartas marcadas, onde já sabemos quem é quem nesta disputa, cada organização política elabora seu programa, junta seus recursos e busca ganhar o aparato para que este seja espaço de publicidade dos programas e interesses de sua organização. Assim, os interesses de todos os outros estudantes serão submetidos aos interesses destas organizações e seus programas, e, de acordo com essa perspectiva nossa participação se limita a escolher os lideres para o próximo ano. Não somos nós estudantes capazes de expressar nossos interesses, de fazer nossas entidades espaços de discussão de nossos problemas e lutas permanentemente? Ou precisamos sempre estar sob a tutela daqueles que julgam portadores de nossos interesses? O programa de luta dos estudantes pode ser construído por todos nós, com nossa participação ativa enquanto sujeitos de nossas lutas!Não precisamos ser coadjuvantes de nossas organizações, podemos e devemos nos empoderar e somente assim teremos as condições de fazer um verdadeiro enfrentamento.

Como já deixamos claro não negamos a importância da organização, nem da construção de entidades, muito pelo contrário: somos seus defensores efusivos. Colocamos apenas o questionamento a que tipo de entidades vamos construir. Pois se queremos um novo movimento não podemos apelar as velhas formas, aos modelos que nos dividem entre representados e representantes, dirigentes e dirigidos, partidos x e y.

Precisamos é de organização da base, participação daqueles que são os interessados diretos, os estudantes eu você, todos nós, como iguais.

Por isso convocamos todos aqueles que tem vontade de se organizar sem medo de grandes desafios a se juntarem a nós do Coletivo Quebrando Muros, não para serem nossos seguidores, mas pra serem nossos iguais na luta!

“Nossas lutas não cabem nas urnas!”

Quebrandomuros.wordpress.com
autogestaoufpr@gmail.com