Arquivo de março, 2011

Abaixo a MP520 Debate com Tecnicos e Estudantes na Reitoria

Publicado: março 30, 2011 em Sem categoria

Nesta quinta-feira (31.03.2011) acontecerá no Anfiteatro 900, a partir das 09:30 hs, no Prédio Dom Pedro I da Reitoria um debate a respeito da Greve dos servidores da UFPR. A greve que luta por melhorias para a categoria, mas também pela derrocada da Medida Provisória 520, foi declarada nesta segunda-feira (28.03.2011).

A atividade esta sendo organizada por estudantes do curso de Ciências Sociais, que buscam sensibilizar o estudantado em geral a solidarizar-se com a paralização, que luta pela justa reposição salárial, mas também pela garantia do serviço público de saúde.

A MP520

A medida Provisória 520, que tem força de lei cria a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, a qual tem como objetivo prestar serviços ao SUS. A EBSERH será financiada pelo estado, porém terá status jurídico privado. Desta maneira pode-se imaginar que ira impor nos hospitais condições de trabalho precarizadas como asvelhas conhecidas tercerizações , estas que não dão a estabilidade nem direitos trabalhistas, que o concursso público garante, pode-se antever também que a forma de contrato que provavelmente vai estabelecer será a já bem conhecido do pessoal da área da educação estadual o PSS (Processo de Seleção Simplificado).

No mais vale lembrar que a tal MP520 abre a porteira para a iniciativa privada adentrar a saúde pública, o que sabemos muito bem que deve descaracterizar o serviço.Não se conhece muitos empresários filantropos (de verdade, não de fachada), até porque seria um contra senso, o capital privado busca lucro, não atender as demanda da população, estas cabem ao poder público.

Prejuizos da MP520:

-Precarização das condições de trabalho para trabalhador@s da saúde.

-Descaracterização do perfil pedagógico, ou ainda perda do espaço pedagógico do Hospital Universitário, isto é formação de estudantes precarizada, logo profissionais da saúde precarios.

– A longo prazo cobrança pelo serviço que deve ser público, este é o exemplo das OS (Organizações Sociais em São Paulo), tais organizações sociais tem um status jurídico muito semelhante a da atual EBSERH, problemas para a sociedade em geral.

Para saber mais:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/mpv/520.htm

http://www.sinditest.org.br/portal/principal/somos-contra-a-mp-52010/

Tod@s estão convidados contamos com sua presença!

QUANDO: SEXTA (01.04.2011)

ONDE: AS 13:30 CONCENTRAÇÃO NO PÁTIO DA REITORIA UFPR

Debate sobre a greve dos tecnicos e MP520

Publicado: março 30, 2011 em Sem categoria

Os técnicos das universidades federais do paraná entraram em greve nesta segunda-feira dia 28 de março. Uma de suas principais pautas é o posicionamento contra a Medida Provisória 520(MP420).

Acreditamos que os estudantes devem se posicionar tanto com a greve quanto com a MP 520. Mas, para isso os estudantes devem estar esclarecidos sobre o que é esta medida. Por isso, serão realizados debates: Na QUARTA 30-03, é o dia de debate no biológicas as 17h, no anf,10. Na reitoria o debate ocorrerá nes QUINTA, 31-03, as 11:30, no anfiteatro 900, Dom Pedro I.

É importantissima a presença dos estudantes neste dia, para que assim exerçam sua função ativa na universidade, se posicionando quanto as medidas que vem de cima (governantes) para baixo (os estudantes, tecnicos e professores que vivem a realidade da universidade).

Para os estudantes que já quiserem algumas informações, deixamos dois links sobre o assunto:

Para os estudantes que quiserem divulgar o evento, cartaz em pdf:

ESTUDANTE

 

No dia 19 de março, os estudantes de História da UFPR estavam fazendo um churrasco no Parque São Lourenço, quando, sem mais nem menos, por voltas das 20h30min, viaturas da Guarda Municipal apareceram e começaram, sem diálogo nenhum, a reprimir e agredir os estudantes que ali estavam. Foram usadas armas de choque, spray de pimenta e cassetete. Houve várias pessoas agredidas e uma foi presa, por supostamente ser “líder de uma rebelião”. Depois, uma guarda apareceu com um braço enfaixado, alegando ter sido agredida, sendo que foi ela quem bateu.

Esse episódio foi apenas um de tantos que acontecem todos os dias e põe em evidência o sistema de coerção em que vivemos. E não devemos ser coniventes com esse tipo de sistema. Em assembléia, foi decidido fazer um ato contra esse episódio e contra a repressão de modo geral, que será realizado dia 1° de abril, mesmo dia do Golpe Militar de 1964, em conjunto com a luta pela abertura dos arquivos da ditadura. É bom lembrar que algumas das práticas usadas hoje pelos policiais e guardas civis são frutos exatamente desse período de ditadura militar, o que torna válido e lógico esse ato em conjunto. Porém, recordamos que as práticas coercitivas de modo geral vêm de antes da ditadura militar, vêm tanto da Era Vargas quanto de antes, do final do século XIX e começo do XX, em que qualquer manifestação operária era vista como tumulto à ordem burguesa e era brutalmente reprimida.

Essa repressão do dia 19 também está relacionada com a iniciativa de privatização da vida pública pelo Estado, em que cada vez mais os espaços públicos de socialização estão sendo barrados em favor dos espaços privados, e é prova disso as medidas restritivas às festas na Universidade, o que também é um claro golpe ao financiamento do movimento estudantil.

As mentiras dos guardas e a lentidão da justiça nos mostram como é falha a Justiça e como é inútil a burocracia, e como isso leva à impunidade dos guardas, que são preparados para serem despreparados, e como esse sistema privilegia a classe dominante e seus instrumentos de coerção.

E se pensarmos na conjuntura em que vivemos, veremos que esse episódio foi apenas um reflexo do que é a nossa sociedade hoje, portanto não devemos parar nossa luta depois desse ato, mas sim continuarmos nos organizando e nos posicionando contra esse sistema de coerção.

2,50 É ROUBO!

Publicado: março 23, 2011 em Sem categoria

A Rede formada com intuíto de congelar a tarifa do ônibus, bem que se alertou que este viria e agora o aumento é um fato, sabemos muito bem que não veio para repor o salários dos servidores, nem tampouco para melhorar as péssimas condições do transpórte. Poderia ser justificado pelo déficit que roda o transpórte de Curitiba, se esse não fosse baseado em índices superfaturados e planilhas falaciosas.

Se não são todas esta motivaçõee então o que levou o aumento da tarifa?

O Lucro dos empresários mais uma vez se sobrepôs aos interesses da população de Curitiba que deveria ter o transpórte público como direito,  porém tera de pagar pelo  uso privado deste e a “necessidade” de lucrar dos empresários.

Mas seremos obrigados a pagar por isso ou podemos viras esta mesa?

Nós do Quebrando Muros pensamos que sim, desta maneira convocamos a mais uma manifestação de uma sequência, chegou a hora de ir as ruas e fazer nossa vóz ser ouvida!

É NAS RUAS QUE BARRAREMOS O AUMENTO!

2,20 JÁ ERA ROUBO!

http://www.contraotarifaco.libertar.org/

Moção de Apoio aos Estudantes de Comunicação UFPR

Publicado: março 22, 2011 em Sem categoria

Por meio deste levamos a público nossa solidariedade aos estudantes de comunicação que se encontram em greve em busca de melhores condições de ensino e estágio, além de suas demandas por estrutura miníma em seu campus.

Nos colocamos lado a lado nesta luta, afinal somente pela organização de base e a reconstrução de um movimento estudantil combativo é que poderemos almejar melhores dias para o ensino superior no Brasil.

Em tempos que o discurso oficial invade até mesmo os espaços dos movimentos sociais defendendo um suposto melhorismo, que dia a dia se revela mentiroso. São exemplos como os dos estudantes de comunicação que podem animar e inspirar novas lutas .

Estudantes de Comunicação mobilizados‏

Publicado: março 22, 2011 em Sem categoria

O coletivo Quebrando Muros admira a coragem dos estudantes de comunicação em ousar lutar por uma universidade de melhor qualidade. Principalmente neste momento em que as forças dos movimentos sociais se encontram em um imobilismo.

Abaixo reportagem postada no blog do centro academico de comunicação social ufpr http://cacosdaufpr.blogspot.com/search?updated-max=2011-03-20T21%3A00%3A00-03%3A00&max-results=7.

Estudantes de Comunicação mobilizados

Os estudantes de Comunicação Social da UFPR estão mobilizados em campanha por diversas melhorias para o curso. Intitulada “Floresta de pernas para o ar” (Floresta é como, carinhosamente, apelidamos nosso campus), a campanha começou essa semana tendo como principal reivindicação a alteração no Regimento de Estágios do curso.

No final do ano passado foi aprovado um novo Regimento de Estágios para a Comunicação. Válido para os estágios obrigatórios e não-obrigatórios, o Regimento impossibilita grande parte dos contratos por vários motivos, como a possibilidade de estagiar somente a partir de 50% do curso concluído, a não-assinatura de contratos durante as férias entre outros. Como a nossa formação é insuficiente, o estágio enquanto experiência prática é parte essencial do curso e, sob essas condições, torna-se impossível estagiar. E como a Universidade não oferece condições à permanência de todos os estudantes, o estágio é também utilizado muitas vezes como única fonte de renda.

Além disso, há as questões estruturais que estão há muito tempo pendentes no campus: a falta absurda de técnicos para auxiliar os estudantes nas disciplinas práticas, a ausência de professores que estão afastados há tanto tempo por um atestado médico questionável, a falta de iluminação, de segurança, de acesso a deficientes físicos, de calçamento, de biblioteca, entre outros.

Com todos esses problemas, fica evidente como os estudantes de Comunicação Social vêm sendo prejudicados pela falta de organização, de informação e também pelo descaso com que somos tratados na Floresta. Por isso, amanhã, dia 17, haverá um assembleia com todos os estudantes para definir os próximos rumos da campanha. Queremos conquistar nosso direito de ter uma formação qualificada com tudo aquilo a que temos direito!

Reivindicações:

– Por um Regimento de Estágios que contemple a necessidade dos estudantes e que seja condizente com nossa realidade;

– Pela possibilidade de cursar TCC I sem ter concluído Metodologia de Pesquisa, até alteração curricular efetiva;

– Pela possibilidade de cursar TCC I e TCC II em ambos os semestres;

– Pela resolução da questão com os professores afastados por atestado, garantindo que os estudantes possam ter o corpo docente completo;

– Pela entrega rápida e com plena possibilidade de uso da Agência de Publicidade e Propaganda;

– Pela contratação imediata de técnicos que auxiliem os estudantes na formação prática;

– Pelo calçamento e pela construção de uma entrada para pedestres no campus;

– Por uma nova pintura no prédio, reivindicada há muito tempo, com a garantia do Reitor que no começo desse ano já estaria concluída;

– Pela estrutura necessária para o acesso de cadeirantes e deficientes físicos, como rampas na entrada do prédio e dos banheiros;

– Pela colocação de bicicletário no campus;

– Pela implantação de uma biblioteca no campus;

– Por melhor iluminação e melhor segurança, principalmente para os alunos que têm aula a noite;

– Por mais e melhores equipamentos;

– Por manutenções constantes das ilhas de edição;

– Pela garantia de que os estudantes tenham acesso a todo o conteúdo pedagógico de todas as disciplinas que cursarem, contanto com a presença garantida dos professores;

– Por uma reforma curricular que não tecnicize o curso e que garanta um número menor de horas-aula optativas.