Reitoria recua e cancela contrato com Santander

retirado de: http://www.jornalcomunicacao.ufpr.br/node/10766

UFPR | Publicada em 17/02/12 às 20h57 Reitoria recua e cancela contrato com Santander Banco não vai mais fornecer carteirinhas e catracas para a UFPR Reportagem Thiago Lavado Edição Mário Messagi Jr. Mário Messagi Jr. Banco Santander Em nota publicada na tarde desta sexta-feira, a reitoria da Universidade Federal do Paraná anunciou que cancelou, na última segunda (13), o contrato que previa o fornecimento de carteirinhas e catracas firmado com o Banco Santander. O Ministério Público recebeu duas denúncias de irregularidades no processo (para ver matéria, clique aqui), na quarta (15). O contrato gerou muita polêmica no meio acadêmico (para ver matéria, clique aqui). A Associação de Professores da UFPR (APUFPR), o Diretório Central dos Estudantes (DCE) e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Terceiro Grau Público de Curitiba, Região Metropolitana e Litoral do Estado do Paraná (Sinditest) emitiram notas contra a parceria. Segundo a nota, o chamamento público que deu origem ao contrato foi revogado pelo reitor Zaki Akel Sobrinho. O reitor acatou entendimento da Pró-reitoria de Planejamento (Proplan) de que “a legislação não permite que as instituições públicas tenham conta em instituições bancárias privadas, mesmo que seja uma conta de transferência de dados”. Apesar do cancelamento, o texto ressalta as vantagens que a parceria proporcionaria, como economia de recursos públicos, transparência e agilidade em algumas transações monetárias, como o pagamento nos Restaurantes Universitários e ônibus intercampi. Veja a íntegra da nota UFPR revoga chamada pública O reitor da Universidade Federal do Paraná, Zaki Akel Sobrinho, revogou no dia 13 de fevereiro o Edital de Chamamento Público no qual o Banco Santander passaria a fornecer os crachás de identificação dos servidores e dos alunos. De acordo com as Pró-reitorias de Planejamento e de Administração, a legislação não permite que as instituições públicas tenham conta em instituições bancárias privadas, mesmo que seja uma conta de transferência de dados. Com a revogação, todos os efeitos decorrentes do Edital foram cessados. Apesar de cancelado, o procedimento seguiu todas as normas da Lei 8.666, a chamada Lei Geral das Licitações, e foi considerado dentro da legalidade e transparente. A implantação do cartão permitiria a economia de recurso financeiro da universidade empregado com as carteiras de estudante e com as identidades funcionais. O chip inteligente poderia ser carregado com valores nos caixas dos Restaurantes Universitários aumentando a segurança de servidores e usuários, evitando o uso rotineiro de dinheiro e reduzindo o potencial de assaltos. Adicionalmente, o cartão permitiria maior transparência, economia e controle no uso de recurso público utilizado para subsidiar as refeições da comunidade acadêmica e no uso do transporte intercampi.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s