Mês: abril 2014

É ditadura?

Algumas vezes, parte da esquerda brasileira procura chamar a atenção pra certos fatos importantes através de um discurso radical que acaba equivocando-se em algumas análises. Por exemplo, há quem clame que estamos vivendo uma ditadura. Nós não estamos, mas a polícia na favela trata dos pobres e negros da mesma forma como tratava a classe média estudantil da época. Isso, no entanto, são resquícios da ditadura em nossa democracia. Isso quer dizer que estamos satisfeitos com a democracia atual? NÃO. Ainda pagamos dívidas a multinacionais, sofremos repressão da polícia, a desigualdade social continua e o governo de esquerda não consegue suprir nossas demandas de forma satisfatória. Mas temos de ter conhecimento dos resquícios da ditadura em nossa sociedade, pois muitas de nossas mazelas vêm de lá.

Por isso foi importante o ato simbólico da derrubada do busto do ex-reitor e Ministro da Educação na época da ditadura, Flávio Suplicy de Lacerda, que, entre outras coisas, queria cobrar anuidades nas Universidades públicas e implantou a Lei Suplicy, responsável pela repressão ao movimento estudantil. Em seu período de gestão vários educadores progressistas foram perseguidos e aos educandos sobrou uma educação tecnicista e alienante*, como gostam os poderosos norte-americanos. Ainda assim, seu busto estava sendo ostentado na reitoria da UFPR como um grande reitor que fez coisas maravilhosas por nós, com a memória seletiva típica das instituições burocráticas.

Obviamente que não queremos nos equiparar com os estudantes de 68, emergidos em um contexto que exigia muito mais bravura do que na situação atual. A intenção é justamente resgatar essa memória através da AÇÃO, a melhor forma de se fazê-lo. Lembrar dos estudantes que arrastaram aquele busto contra aqueles poderosos com seus planos de educação que deixavam o Brasil e seu povo cada vez mais longe de uma emancipação, de justiça social e de liberdade. A UFPR como uma grande instituição que se clama e que inclusive tem sua própria Comissão da Verdade e que constrói o Fórum Paranaense de Resgate da Verdade, Memória e Justiça, deveria saber e respeitar isso. Mas ao contrário, condena e ameaça os agentes da ação, contribuindo mais uma vez para a cultura do esquecimento, iniciada com a Lei de Anistia em 1979, passando pela ditadura como se nada tivesse acontecido, longe de fazer justiça. O busto voltar ou não, é uma discussão que deve envolver TODO o movimento estudantil com a Reitoria e outras entidades interessadas.E, SE retornar ao seu lugar, deve no mínimo conter as seguintes inscrições: Flávio Suplicy de Lacerda – construiu a universidade e destruiu a educação.

*Importante recordar que uma educação tecnicista e alienante é aquela que se preocupa somente com o ensino de técnicas específicas ao futuro trabalhador de modo a acelerar o processo de produção no trabalho e que não deseja desenvolver no estudante o questionamento sobre o trabalho e o que lhe cerca.

    Busto