Nosso posicionamento perante a eleição para o DCE-UEM

Nos últimos anos o Movimento Estudantil (ME) da UEM tem vivido o gosto amargo da desorganização que impôs aos estudantes diversas derrotas. O Restaurante Universitário está há mais de dois anos fechado, encarecendo o custo de vida para xs estudantes da UEM e elitizando ainda mais nossa universidade. Foi aprovado um Regime Disciplinar Discente autoritário, que criminaliza o ME e nega aos estudantes qualquer forma de atividade cultural e política dentro do campus sem a autorização da Reitoria. Vivenciamos ainda a agressão e perseguição de estudantes, cortes de verbas, falta de blocos, falta de professores e a ausência total de qualquer forma de assistência estudantil que garanta condições de permanência na universidade. Por onde olhamos é fácil enxergar o estado de precarização e abandono em que a UEM se encontra. O Movimento Estudantil, fragilizado na base e centralizado na burocracia de suas entidades representativas, atualmente se encontra sem força para resistir aos ataques contra a universidade pública e para trazer novas conquistas para xs estudantes.

Após um ano de uma gestão fraca e omissa da UJS e JPT, completamente submissa aos interesses da Reitoria, agora nos vemos novamente diante do período de campanha eleitoral para o DCE, em que mais uma vez chapas são formadas de última hora e distantes da base para disputar a direção da entidade e de cima para baixo organizar o ME. Acreditamos que o Movimento Estudantil deve ser construído de baixo para cima e pela base, de forma horizontal e através da ação direta, e não de cima para baixo a partir do DCE. Só através da luta árdua e constante do dia a dia, fortalecendo os Centros Acadêmicos e os estudantes em seus cursos, é que conseguiremos ter a força necessária para por em curso à transformação da UEM na universidade que desejamos e obter vitórias ao longo desse caminho. Criticamos a velha e vencida estratégia do ME de focar na disputa pelo DCE em detrimento da organização dia a dia da luta na base. Pouca força terá qualquer gestão do DCE que começa a se organizar para as lutas poucas semanas antes do período eleitoral. Criticamos também a postura centralizadora adotada pela gestão 2013/2014 do DCE que manteve as portas fechadas durante suas reuniões, esperamos que a próxima gestão seja mais aberta e horizontal, permitindo uma maior participação dos estudantes.

Perante a presente conjuntura de desorganização do ME da UEM, avaliamos que seria um equívoco nossa participação ou apoio a qualquer uma das chapas que disputam a gestão do DCE este ano. Para fortalecer o Movimento Estudantil na UEM, devemos primeiro fortalecer a luta dxs estudantes nos cursos e Centros Acadêmicos. Neste sentido, continuaremos firmes na luta, fortalecendo dia a dia a base para obter novas conquistas, sempre desde baixo e à esquerda. Para além do DCE, fazemos um chamado à todxs xs estudantes da UEM para que se organizem ocupando os espaços de luta em seus cursos. Somente se os espaços de base estudantil estiverem consolidados organizativamente é que será possível construir um movimento estudantil classista, forte, combativo e unido.

Arriba lxs que luchan!

cqm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s