Posts com Tag ‘Maringá’

O Coletivo Quebrando Muros convida abertamente todxs interessadxs em debater conosco o tema da Autogestão aplicado à prática política e seus afins, no Grupo de Estudos em Autogestão (GEA).

Nesse encontro vamos continuardiscutindo a cartilha da Universidade Popular/RJ – MTD (atual MOB), chamada ‘CAPITALISMO, ANTICAPITALISMO E ORGANIZAÇÃO POPULAR”.
(segunda parte):
https://quebrandomuros.files.wordpress.com/2010/06/cartilha_anticapitalismo-e-organizac3a7c3a3o-popular.pdf

Sugerimos a leitura do texto, entretanto quem não conseguir ler não deixe de participar!

QUANDO: Sábado, 27/07, 17h.
ONDE: Centro Acadêmico Florestan Fernandes (CAFF) – *no quiosque do CA

Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/852390644841203/

cqm

O Coletivo Quebrando Muros convida abertamente todxs interessadxs em debater conosco o tema da Autogestão aplicado à prática política e seus afins, no Grupo de Estudos em Autogestão (GEA).

Nesse encontro vamos começar a discutir a cartilha da Universidade Popular/RJ – MTD (atual MOB), chamada ‘CAPITALISMO, ANTICAPITALISMO E ORGANIZAÇÃO POPULAR”.
(primeira parte):
https://quebrandomuros.files.wordpress.com/2010/06/cartilha_anticapitalismo-e-organizac3a7c3a3o-popular.pdf

Sugerimos a leitura do texto, entretanto quem não conseguir ler não deixe de participar!

QUANDO: Sábado, 23/05, 18h.
ONDE: Sala 13, bloco 06 – UEM (CAPsi)

Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1579927845604580/

Nós do Coletivo Quebrando Muros, aqui de Maringá, convidamos à todxs para participar do primeiro encontro do GEA – grupo de estudos de autogestão, que se propõe a estudar uma forma de organização social não autoritária.

O texto que será discutido é “A Autogestão da sociedade prepara-se na autogestão das lutas” (https://quebrandomuros.files.wordpress.com/2010/06/a-autogestc3a3o-da-sociedade-prepara-se-na-autogestc3a3o-das-lutas.pdf)

O encontro acontecerá na quinta-feira (02/04) nos gramados do CAFF/CAFIL às 18h

cqm

Na tarde de hoje (terça-feira 03), o Movimento Estudantil da Universidade Estadual de Maringá realizou no campus sede um ato com mais de 300 estudantes de todos os campi, em protesto ao sucateamento da educação na universidade e à falta de políticas de assistência estudantil, assim como à precarização generalizada dos serviços públicos do Paraná e a retirada de direitos dxs funcionárixs estaduais.

Ao fim do ato, xs estudantes entraram na plenária do Conselho Universitário e realizaram assembleia estudantil. A Reitoria participou da reunião para responder aos questionamentos dxs alunxs, referentes principalmente à situação da reforma do Restaurante Universitário, à falta de políticas culturais, à situação periclitante dos campi regionais e às políticas de assistência e permanência estudantil.

Diante da falta de perspectivas frente à precarização generalizada, xs estudantes deliberaram manter mobilização no local em assembleia permanente, com indicativo de ocupação por tempo indeterminado a partir de amanhã (quarta-feira, 04), e deflagrar greve estudantil em apoio às greves dxs servidorxs públicxs. As falas dxs estudantes cobraram enfaticamente o governo estadual quanto a sua política de precarização e demandaram mediação da Reitoria no sentido de garantir o cumprimento das demandas. Amanhã, em assembleia estudantil às 18h30, haverá deliberação quanto aos rumos do movimento.

10295750_780280905381565_4197151736469458626_n

Dia 25 de fevereiro de 2015 em um ato unificado do funcionalismo publico, xs estudantes de diversas universidades estaduais, com apoio da UFPR, escreveram esse documento destinado às bases do movimento estudantil:

“Após uma grande passeata dxs servidorxs públicxs do estado do Paraná em conjunto com xs professorxs em greve e estudantes das escolas e universidades estaduais que se encerrou em frente ao Palácio do Iguaçu, nós estudantes de diversas universidades estaduais nos reunimos para debater a atual conjuntura dessas instituições bem como as demandas estudantis. Estiveram presente estudantes das seguintes IES Estaduais: UEPG (Centro e Uvaranas), UEM (Maringá, Cianorte e Umuarama), UNICENTRO (Irati e Guarapuava), UNIOESTE (Cascavel e Rondon), UNESPAR (Campus Curitiba 2) além de secundaristas, estudantes de outras instituições de ensino superior público e entidades do movimento estudantil.

Durante o debate foram levantadas várias pautas de cada universidade presente, porém entendemos que por ter sido uma reunião espontânea e auto-organizada, não houve pretensão de alcançar representatividade suficiente nesse espaço para elencar as demandas específicas de cada campus, tendo em vista que houve participação de um pequeno número de estudantes, além da ausência de alguns campi e universidades, como a UEL e a UENP. Por outro lado, houve consenso em algumas pautas gerais como o sucateamento das universidades estaduais, a falta de assistência estudantil e o combate ao projeto de “Autonomia Universitária” apresentada pelo governo Beto Richa (PSDB).

Nesse sentido convidamos todxs xs estudantes para participarem da nossa luta, organizando em suas universidades e em seus campi assembleias e eventos que debatam suas demandas específicas, e que fortaleçam o debate e a luta pelas pautas gerais elencadas nessa carta. Propomos então uma agenda unificada de atos em todos os campi das universidades estaduais para apresentarmos nossas demandas às reitorias/direções e ao governo.”

Curitiba, 25 de fevereiro de 2015.

OBS.: O uso do X nas palavras tem o objetivo de contemplar todas as pessoas, inclusive as que não se identificam no gênero feminino ou masculino.

cqm